Por que tomar café de qualidade?

Voltar para: HOME | CURIOSIDADES

Além de ser muito prazeroso, o consumo da bebida também traz benefícios para a saúde. Objeto de estudo de médicos e pesquisadores em todo o mundo, o café tem mais de mil compostos que fazem bem à saúde. Se consumido com moderação, pode até ser considerado funcional com efeitos antioxidantes, promovendo melhoria no funcionamento do cérebro e inibindo a ocorrências inflamações, por exemplo. O café tem ainda minerais como magnésio, fósforo e zinco e trabalha em prol até mesmo da estética.

A cafeína age sobre os receptores de adenosina, que é um neurotransmissor responsável pela diminuição da atividade cerebral. Com os receptores bloqueados, a atividade neural aumenta e estimula a glândula adrenal a liberar adrenalina, deixando o corpo em alerta.

O café funciona como um aditivo, melhorando o funcionamento do metabolismo hepático na sintetização de proteínas e eliminação de toxinas. As propriedades bioquímicas presentes no café também se mostram benéficas contra o desenvolvimento de condições como fibrose hepática, que é o estágio inicial da cirrose, quando o fígado vai perdendo sua capacidade.

A cafeína pode melhorar a performance atlética através de vários mecanismos, um deles sendo o aumento de movimento de ácidos graxos dos tecidos de gordura. Estudos mostram que a cafeína pode melhorar de 11 a 12% o desempenho nos exercícios.

A unidade Café e Coração do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) conduziu uma pesquisa com pacientes que estavam sob acompanhamento ambulatorial após sofrerem infartos ou serem diagnosticados com problemas de angina. Para os testes, os participantes consumiram de três a quatro xícaras de café ao longo de quatro semanas, e, em períodos distintos da pesquisa, utilizaram grãos com torras diferentes para preparar a bebida.

Depois de semanas ingerindo cerca de 400 ml de café por dia, eles foram submetidos a exames que apontaram que não houve aumento na pressão arterial e nem arritmia cardíaca. Ainda na pesquisa, verificou-se que a torra mais escura seria a mais benéfica.

No cérebro, os ácidos clorogênicos e a cafeína, presentes no café, ajudam no desenvolvimento e no processo de desinflamação. Essas propriedades são benéficas nos casos de doenças degenerativas como Parkinson e Alzheimer, quando há um processo inflamatório no órgão.

O consumo de cafeína também está relacionado a uma menor incidência de diabetes, de acordo com estudo recente do Departamento de Nutrição de Harvard. O café, consumido logo após as refeições, diminui a absorção da glicose pelo organismo. Além disso, a cafeína aumenta os níveis circulantes de uma proteína chamada SHBG, que reduz o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Pesquisas do Instituto D’or, no Rio de Janeiro, mostraram que, para se obter os benefícios, nem é preciso beber o café. Os ‘voláteis’, substâncias dissolvidas no ar, mexem com o cérebro e trazem à tona as sensações de recompensa e gratidão. Além de dar prazer, interferem positivamente na saúde emocional. Essa é uma importante descoberta para o desenvolvimento de novos medicamentos para tratamento de enfermidades psíquicas.
Por que tomar café de qualidade?
4/ 5
Oleh